Total de taxas pagas pelos Bracarenses ao Município em 2022 (até ao momento)

Estupidez ou desonestidade?

Dia Primeiro de Maio, Dia do Trabalhador, o primeiro-ministro de Portugal dirigiu-se aos portugueses transmitindo o “objectivo de reforço do peso dos salários no PIB para a média europeia” acompanhado de um gráfico ilustrativo. Foi esta a mensagem mais importante que o chefe do Governo de Portugal nos trouxe neste dia.

Fig. 1 – O objectivo de António Costa

É impressionante como um simples tweet de 39 palavras demonstra a total incapacidade do nosso primeiro-ministro em ocupar o seu cargo. Vejamos as evidências.

EVIDÊNCIA N. o 1

Um olhar atento encontra uma diferença de terminologia ao compararmos o texto com a ilustração: no texto, António Costa refere-se a “Salários”, enquanto no gráfico refere-se a “Remunerações”. São iguais? Não. Ao consultarmos o Eurostat, reparamos que os valores são diferentes (em milhões de euros):

 

Salários

2021

Remunerações

2021

Zona Euro

4 638 610

5 934 501

Portugal

80 002

103 054

EVIDÊNCIA N. o 2

Outra diferença de terminologia entre o texto e o gráfico, situa-se ao nível da zona geográfica com que são comparados os dados de Portugal: Europa (texto) ou Zona Euro (gráfico). A Europa a que o texto se refere, não será com certeza o continente europeu, mas sim a União Europeia, constituída por 27 países; mas a Zona Euro é constituída apenas por 19 países. Em que ficamos?

EVIDÊNCIA N. o 3

Após termos ido verificar os dados junto da fonte, também podemos deitar um terceiro olhar às contas, como por exemplo, tentar perceber a que se refere afinal o quociente estimado pelo primeiro-ministro: Salários ou Remunerações? Bem como à zona geográfica a comparar: União Europeia ou Zona Euro?

Geografia

Salários

2021

Remunerações

2021

PIB

2021

Salários

PIB

Remunerações

PIB

Zona Euro

4 638 610

5 934 501

12 253 898

37,9%

48,4%

União Europeia

5 466 764

6 900 977

14 448 342

37,8%

47,8%

Portugal

80 002

103 054

211 278

37,9%

48,8%

Em 2021, os valores estão longe de coincidirem com os divulgados por António Costa. Nem o peso dos salários, nem das remunerações são os mesmos. Então, que valor vamos usar para construir o gráfico? Comparemos os restantes anos entre Portugal e a Zona Euro.

Até 2019, o gráfico da direita replica muito bem o gráfico do nosso primeiro-ministro. Mas em 2020 e 2021 temos uma diferença considerável. Portanto, tudo leva a crer que António Costa se refere às remunerações e não aos salários, pelo menos até 2019. Mas os seus dados relativamente aos dois últimos anos estão totalmente errados, pois o peso das remunerações em Portugal já ultrapassou o da Zona Euro: afinal, não precisamos esperar cinco anos, pois já lá chegámos. Os dados relativamente à União Europeia revelam-se sempre inferiores ao da Zonas Euro, pelo não é a estes que António Costa se refere de certeza.

EVIDÊNCIA N. o 4

Olhemos agora para o eixo vertical do gráfico publicado no Twitter. Sofre daquilo que habitualmente se chama “gráfico à PS”. Em vez de começar no zero, começa num valor bem mais alto, para empolar a diferença visual entre as variáveis. Mesmo com os valores errados de António Costa, uma atitude de honestidade intelectual, deveria ter originado a publicação de um gráfico diferente. Comparemos o gráfico de António Costa (esquerda) com um gráfico honesto (direita). Note-se que os valores são exactamente os mesmos.

Agora, a suposta diferença entre a situação portuguesa e da Zona Euro já não parece tão grande, pois não? Não parece tão grande, porque na realidade, é bem pequena (mesmo com os valores errados de António Costa). Os famosos “gráficos à PS”, conseguem enganar uma pessoa menos atenta.

EVIDÊNCIA N. o 5

Já que temos aqui o gráfico da postagem, vamos olhar para os valores junto às duas setas: 17,5% e 20%. A primeira seta parte de um valor de aproximadamente 43,5 e acaba em 46. Temos assim uma subida de 2,5, ou seja 17,5%. Supostamente, 2,5 ÷ 43,5 = 0,175 (17,5%). Pegue o leitor numa máquina de calcular (a do telemóvel, por exemplo) e faça esta conta. Quanto dá? Exactamente: 5,7%. E a seguinte, (48–46)/48 = 4,3% em vez de 20%. Valores totalmente díspares daqueles que António Costa nos apresenta.

EVIDÊNCIAS N.os 6 e 7

Por fim, debrucemo-nos sobre a importância da variável que o nosso primeiro-ministro elegeu como principal objectivo da mensagem no Dia do Trabalhador: o peso das remunerações (ou dos salários, vá-se lá saber qual deles), no PIB. O que será mais importante, as pessoas terem bons salários, ou os salários representarem uma fatia crescente do PIB?

Na Irlanda, o peso das remunerações no PIB foi de 26% e em Portugal foi de 48,8% em 2021. Até a Grécia “está melhor” que a Irlanda, com 36,6%. Desgraçados dos Irlandeses? Que estão muito abaixo de nós, da Grécia e da média europeia? Vejamos:

– Como é possível os irlandeses estarem tão abaixo de nós, e afinal os trabalhadores irlandeses ganharem 2,5 vezes o que ganham os portugueses?

– E como é possível que desde 2016 (ao contrário do que aparenta o gráfico do nosso primeiro-ministro), quase nada nos aproximámos da média europeia?

CONCLUINDO

O post de António Costa tem 39 palavras. Demonstra que não sabe utilizar estatísticas, não sabe fazer contas, substitui dados verídicos por falsos, e define objectivos de política económica que não fazem qualquer sentido. Num texto tão pequeno, foi possível identificar sete erros e/ou fraudes.

ESTUPIDEZ ou DESONESTIDADE?

Ou as duas em simultâneo?

É este homem que vai continuar a governar-nos. Pelo menos, durante mais quatro anos.

Nota: todos os dados foram recolhidos em 1 de Maio, tendo a base de dados sido actualizada pelo Eurostat em 28 de Abril.

 

VidaEconomica

13 Mai 2022

Agenda


Pessoas
Livres

Liberdade
Individual

Mercados
Livres

Liberdade
Económica

Sociedades
Livres

Liberdade
Social

Cidadãos
Livres

Liberdade
Política

Vídeos


Intervenção de Rui Rocha

Mensagem de Rui Rocha

Intervenção de Bruno Machado

Apresentação da Candidatura

Legislativas 2022

Caminhada Liberal

Núcleos do Distrito de Braga

Barcelos

Guimarães

Vila Nova de Famalicão

Voluntariado

Inscrição

Faz-te Membro

Inscrição

 

WebSite

Termos de utilização

© 2022 Iniciativa Liberal Braga